Blog Urologia - Dr. Petronio Melo

Vasectomia [2023]

vasectomia

Vasectomia é uma cirurgia que tem como objetivo realizar um controle de natalidade efetivo e permanente. Após uma vasectomia, você deve realizar um espermograma de controle para garantir que não haja mais nenhum espermatozóide no seu sêmen.

Sobre a vasectomia

A vasectomia é um procedimento cirúrgico que impede que os espermatozóides sejam liberados na hora da ejaculação, dessa forma, promovendo um controle de natalidade permanente (contracepção).

O procedimento desconecta os ductos deferentes, que são os tubos que transportam os espermatozóides dos testículos para o meio externo.

É uma cirurgia é muito segura e eficaz para prevenir a gravidez, mas não protege contra doenças sexualmente transmissíveis.

A vasectomia é 100% eficaz?

A única maneira de evitar a gravidez é evitar as relações sexuais. No entanto, a taxa de falha de uma vasectomia é muito baixa. Em casos raros após uma vasectomia – cerca de 1 em 10.000 casos – é possível que os espermatozóides atravessem as extremidades separadas dos ductos deferentes, o que pode levar a uma gestação.

Após cerca de 3 meses da cirurgia, é recomendado que seja realizado um exame de espermograma, onde o esperma é analisado. Se o espermograma demonstrando que no seu sêmen ainda há espermatozóides, você pode ter que fazer outra vasectomia.

Entretanto, esse tipo de situação acontece aproximadamente em 1 a cada 10.000 casos, uma taxa de falha muito menor do que para qualquer outra forma de controle de natalidade. Para exemplificar, a camisinha falha cerca de 1% das vezes, ou seja, 1 em cada 100 vezes que é ela é utilizada, ocorre uma gravidez.

Quão comuns são as vasectomias?

Cerca de 50 milhões de homens fizeram vasectomia – aproximadamente 5% de todos os homens casados em idade reprodutiva. Nos Estados Unidos, mais de 500.000 homens realizam a vasectomia todos os anos. No Brasil, o número de procedimentos realizados também é muito alto.

O que acontece antes da vasectomia?

Consulta com urologista

Antes de uma vasectomia, você deve passar em consulta com seu médico urologista para expor seu desejo de cirurgia, expectativas e preocupações. Você deve ter certeza de que não quer mais ter filhos. Você tem que estar ciente que a vasectomia é uma forma permanente de controle de natalidade.

Embora exista um procedimento de reversão de vasectomia, essa cirurgia nem sempre tem sucesso.

Seu urologista irá te questionar sobre:

– Histórico de sangramento excessivo ou distúrbios sanguíneos;

– Alergia ou sensibilidade a anestésicos locais e antibióticos;

– Doenças de pele envolvendo sua bolsa testicular, especialmente espinhas infectadas (furúnculos);

– Uso regular de aspirina ou outros medicamentos que “afinam o seu sangue”;

– História de lesão ou cirurgia anterior em seus órgãos genitais, bolsa testicular ou virilha (como hérnias);

– História de infecções urinárias ou genitais recentes ou repetidas.

Termo de consentimento

Você será solicitado a assinar um termo de consentimento afirmando que você entendeu sobre o que se trata a vasectomia, seus riscos e benefícios. Isso inclui entender que o procedimento não é garantido (como nenhum procedimento médico é ou pode ser).

Antes de assinar este termo de consentimento, certifique-se de ter entendido tudo sobre o procedimento e que você esteja confortável com a decisão tomada.

É importante que você esclareça todas as suas dúvidas ou preocupações antes de tomar a decisão final. Nunca deve ser realizada a cirurgia até o paciente ter certeza de que operar é a escolha certa.

Anticoagulantes

Medicações para “afinar o sangue” devem ser evitadas se possível e suspensas alguns dias antes da cirurgia. Pacientes que fazem uso dessas medicações devem ser avaliados por um cardiologista que irá orientar se essas medicações podem ser interrompidas alguns dias antes da cirurgia ou não, a depender do risco do paciente.

Alguns pacientes tem doenças graves e os medicamentos anticoagulantes não podem ser suspensos nem mesmo por 1 dia.

Alguns exemplos de medicações que aumentam o risco de sangramento cirúrgico são:

– Aspirina;

– Varfarina;

– Clopidogrel;

– Dabigatrana, rivaroxabana, apixabana e edoxabana.

Depilar e lavar

Na noite anterior ou na manhã da cirurgia, uma sugestão é que o paciente raspe os pelos de toda a bolsa testicular e da região próxima ao escroto. Não use um barbeador elétrico em seu escroto. Um barbeador descartável de lâmina única é a melhor escolha.

Para reduzir o risco de infecção, lave bem o escroto e a virilha no dia anterior e na manhã da cirurgia.

Outras preparações

Antes da cirurgia, tomar suas medicações de uso contínuo normalmente, exceto aquelas que foram solicitadas que fossem suspensas antes da cirurgia, como os medicamentos anticoagulantes.

Levar um suspensório escrotal (“saqueira”) ou uma sunga apertada para serem utilizadas após a cirurgia.

Se o procedimento for realizado com sedação, é necessário 8 horas de jejum antes da cirurgia.

Como a vasectomia é realizada?

O procedimento cirúrgico pode ser realizado no consultório médico (somente com anestesia local) ou no centro cirúrgico (anestesia local + sedação). A bolsa testicular (escroto) é anestesiada com anestésicos locais.

O urologista realiza pequenas incisões na pele de menos de 1 centímetro para agarrar o ducto deferente, tubo que conecta os testículos até a próstata. Esses ductos deferentes são então divididos, uma porção deles é removida, e suas extremidades são amarradas e cauterizadas.

Após isso, no fechamento das incisões, as extremidades são deixadas em planos diferentes do escroto, tudo de forma a prevenir que haja uma reconexão entre os ductos deferentes.

O procedimento é realizado em ambos os lados. Desconectando os ductos deferentes, impedimos que os espermatozóides produzidos no testículos sejam eliminados na hora da ejaculação.

Mesmo assim, o volume de sêmen visível no orgasmo praticamente não muda. Isso acontece porque somente 10% do volume do sêmen na ejaculação vem dos testículos. A grande maioria do volume do esperma ejaculado vem das vesículas seminais e da próstata.

Geralmente, o desconforto durante e após a cirurgia é pequeno. Seu escroto ficará dormente, mas alguns homens sentem uma leve sensação de “puxão” ou uma sensação de coisas se movendo.

Como funciona o pós-operatório da vasectomia

Dor / hematomas

Você provavelmente terá um leve desconforto após a cirurgia. Pequenos hematomas e inchaço leve após o procedimento são comuns. Para ajudar no desconforto, você pode tomar paracetamol ou dipirona, caso não tenha alergia a essas medicações.

Você pode colocar compressas de gelo sobre o suspensório escrotal e o curativo. Usar compressas de gelo nas primeiras 36 horas ajuda a reduzir o inchaço. É importante envolver a bolsa de gelo em uma toalha ou colocar algo entre a bolsa e a pele.

Curativo

Troque o curativo quando estiver manchado ou sujo. Você pode comprar gaze estéril para fazer o curativo em qualquer farmácia. Você pode ficar sem o curativo quando a ferida operatória estiver seca e bem fechada, geralmente após 48 horas da cirurgia.

Uma pequena quantidade de secreção pode sair da ferida operatória, sem que seja sinal de infecção. A saída desse líquido é importante, pois é melhor para você essa secreção drenada do que acumulada por dentro da bolsa testicular.

Banho

Você pode começar a tomar banho normalmente no dia seguinte à vasectomia. Evite banheiras ou natação por algumas semanas. Para secar a bolsa testciular, usar uma toalha. Não esfregue o escroto.

Abertura dos pontos

Às vezes, alguns pontos da cirurgia podem abrir. Se isso acontecer, não se preocupe. O corpo pode levar alguns dias a mais para que a cicatrização seja completa, mas geralmente não há problemas para que a pele cicatrize.
Você pode fazer um curativo com gaze estéril para facilitar o fechamento da bordas da cicatriz. Isso unirá sua pele e permitirá que ela se cure mais rapidamente. A cicatriz é mínima, se é que acontece.

Quando devo ligar para meu urologista?

Embora seja um procedimento de baixo risco, eventualmente a vasectomia pode ter complicações. Você deve ligar para o seu urologista imediatamente se tiver:

– Dor muito intensa;

– Inchaço muito acentuado do escroto;

– Sangramento intenso que não melhora;

– Febre (mais de 37,7 graus Celsius);

O que acontece com o esperma após uma vasectomia?

Após uma vasectomia, seus testículos continuam produzindo espermatozóides. Quando esses espermatozóides morrem, eles se desintegram e são absorvidos pelo seu corpo. É assim que seu corpo lida com outros tipos de células que morrem e são substituídas todos os dias.

Quando é seguro fazer sexo após uma vasectomia?

Você pode começar a ter relações sexuais 7 dias após uma vasectomia, mas deve usar outra forma de controle de natalidade até que seu espermograma esteja zerado, isto é, demonstre ausência de espermatozóides. Normalmente, o urologista solicita um espermograma após 3 meses da realização da cirurgia.

Quais são os riscos de uma vasectomia?

Complicações como inflamação (inchaço), sangramento ou infecção podem ocorrer, mas são relativamente incomuns e não graves. Os riscos menores incluem:

Dor

Qualquer procedimento pode afetar os nervos e, raramente, pode haver dor residual. Seus testículos são órgãos sensíveis, então a dor pode ocorrer em pessoas que têm testículos, quer tenham feito vasectomia ou não.

Não está claro se uma vasectomia aumenta esse risco de dor testicular. A síndrome da dor pós-vasectomia é complexa e ocorre em 1% a 2% das pessoas após uma vasectomia.

Os pesquisadores não entendem exatamente por que esses sintomas variados se desenvolvem, mas algumas pessoas podem sentir dor testicular, dor com ejaculação e sofrimento psicológico.

Granuloma de esperma

Você pode desenvolver um caroço duro, às vezes doloroso, do tamanho de uma ervilha, como resultado do vazamento de esperma do ducto deferente cortado. Esse caroço não é perigoso e quase sempre é absorvido pelo seu corpo. Suspensório escrotal e analgésicos leves (como dipirona) podem ajudar a aliviar os sintomas.

Congestão (no seu escroto)

Você pode ter uma sensação de pressão causada pelo esperma em seus testículos, epidídimos e ducto deferente proximal. Esse desconforto pode ocorrer de 2 a 12 semanas após uma vasectomia. Como um granuloma, o congestionamento geralmente se resolve com o tempo.

Existem riscos de saúde a longo prazo de uma vasectomia?

Muitos estudos analisaram os efeitos da vasectomia na saúde a longo prazo. As evidências sugerem que não há riscos significativos. Ter uma vasectomia não o tornará mais propenso a desenvolver câncer, doenças cardíacas ou outros problemas de saúde do que alguém que não fez vasectomia.

Terei algum “efeito colateral” indesejado após uma vasectomia?

Isso geralmente significa:

– Vou produzir menos testosterona?

– Ainda vou querer fazer sexo?

– Vou produzir (e ejacular) menos sêmen?

– Meu sêmen será diferente?

– Minha parceira será capaz de perceber a diferença após uma vasectomia?

Basicamente, a resposta para todas essas perguntas é não. Uma vasectomia não afeta a produção ou liberação de testosterona (A testosterona é o hormônio responsável por seu desejo sexual, libido, ereção, voz grossa, massa muscular, entre outras funções).

Uma vasectomia também não afeta negativamente a sexualidade. Suas ereções e orgasmo serão os mesmos. A quantidade de esperma ejaculado não mudará. A única diferença é que seu sêmen não conterá mais espermatozóides (azoospermia).

Frequentemente, as pessoas que passaram pelo procedimento acham que o sexo com seus parceiros é mais espontâneo e agradável porque não precisam mais se preocupar com a gravidez ou interromper a atividade sexual para lidar com a contracepção.

Quais são os benefícios de uma vasectomia?

A vasectomia oferece muitas vantagens como método de controle de natalidade. O principal benefício é a eficácia. A vasectomia é mais de 99,99% eficaz na prevenção de gravidez. Assim como a laqueadura tubária em mulheres, a vasectomia é um procedimento único, realizado somente uma vez, que fornece contracepção permanente.

Em comparação com a laqueadura tubária, uma vasectomia:

– É mais simples

– É mais eficaz

– Tem menos complicações (é mais seguro para você)

– É muito menos caro

Então, se você está perguntando o que é melhor, laqueadura ou vasectomia, a vasectomia é melhor de várias maneiras.

Minha relação sexual vai durar mais tempo depois de uma vasectomia?

Uma vasectomia não altera seu desempenho sexual fisicamente, mas pode aumentar seu nível de conforto com o sexo, reduzindo o estresse relacionado à gravidez. Dessa forma, com níveis menores de ansiedade, o tempo do sexo pode acabar melhorando eventualmente.

Quanto tempo leva para se recuperar após uma vasectomia?

A maioria das pessoas consegue voltar ao trabalho em menos de uma semana. Você pode precisar ficar fora por uma semana inteira se seu trabalho for extenuante e físico. Geralmente, o urologista fornece um atestado médico de 7 dias após a cirurgia.

De qualquer forma, você pode retomar as atividades diárias normais geralmente de 48 a 72 horas após o procedimento, a menos que as atividades sejam muito intensas. As pessoas pesquisadas após a vasectomia relatam recuperação total em uma média de oito a nove dias.

Após uma vasectomia, posso parar de usar outros métodos anticoncepcionais imediatamente?

Não. Os espermatozóides podem permanecer viáveis nos ductos deferentes acima da área do procedimento e nas vesículas seminais por semanas ou até meses após a cirurgia. Você deverá fazer um espermograma cerca de três meses após o procedimento.

Se forem observados espermatozóides no espermograma, o exame deverá ser repetido, geralmente um mês depois. Nesse período, você deve continuar usando outros métodos anticoncepcionais para evitar a gravidez.

É muito importante voltar ao seu urologista para fazer o espermograma. Esta é a única maneira de garantir que não haja espermatozóides no seu sêmen.

Você pode ajudar a “limpar” seu esperma ejaculando frequentemente a partir de uma semana após uma vasectomia. Isso pode aumentar suas chances de uma análise do sêmen sem espermatozóides.

Posso reverter uma vasectomia mais tarde, se eu quiser?

Embora a reversão da vasectomia seja uma opção se você decidir que quer outro filho, costuma ser um procedimento caro, complexo, não coberto pelos planos de saúde e nem sempre funciona.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598 – RQE 70.725

  • Doutorado pela Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo (USP)
  • Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical
  • Membro da American Urological Association (AUA)
  • Membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

DÚVIDAS?

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598

– Urologista, Andrologista e Cirurgião Robótico

– Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical (Sunnyvale, Califórnia, EUA).

– Doutorado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

DÚVIDAS?

Agende com um especialista

Se você deseja realizar a cirurgia de vasectomia, você deve agendar uma consulta com um urologista de confiança para uma avaliação completa. O Dr. Petronio Melo realiza o procedimento de vasectomia e está disponível para realizar a sua cirurgia.

Dr. Petronio Melo é especialista em Urologia, Andrologia e Cirurgia Robótica e realiza atendimento presencial em seu consultório na Vila Mariana em São Paulo – SP, além de atendimento por telemedicina para todo o Brasil. Agende uma consulta com o Dr. Petronio Melo para esclarecimento de todas as suas dúvidas a respeito da vasectomia.

Atendimento com Urologista

Entre em contato e agende a sua consulta 

São Paulo - SP

R. Domingos de Morais, 2187, Bloco Paris – conj. 210
Vila Mariana, CEP 04035-000

Atendimento online

Horário de atendimento: 08:00 às 20:00
consultorio urologia vila mariana

São Paulo, SP

Consulta presencial

favicon petronio melo

Telemedicina

Consulta online