Blog Urologia - Dr. Petronio Melo

Rim Dilatado: Entenda Causas, Sintomas e Como Tratar Efetivamente

rim dilatado

Introdução

A Importância do Rim no Corpo Humano

O rim é um órgão essencial, responsável por diversas funções vitais no corpo humano. Situados logo abaixo da caixa torácica, os rins desempenham o papel principal de filtrar resíduos e excesso de substâncias do sangue, transformando-os em urina para serem excretados. Eles regulam o equilíbrio de fluidos, mantêm os níveis adequados de eletrólitos como potássio, sódio e cálcio e produzem hormônios que ajudam na regulação da pressão arterial, produção de células vermelhas do sangue e manutenção da saúde óssea.

Por sua importância, qualquer irregularidade ou disfunção renal pode afetar gravemente a saúde geral do indivíduo. Entre as várias condições que podem acometer esses órgãos, uma em particular chama a atenção: o rim dilatado.

Compreendendo a Dilatação Renal

A dilatação renal, ou hidronefrose, ocorre quando um rim se expande ou se dilata devido ao acúmulo de urina. Esse inchaço pode ser causado por diversos motivos, que vão desde obstruções no trato urinário até infecções. A condição pode ser temporária ou persistente, e suas implicações podem variar de leves a graves, dependendo da causa subjacente e da rapidez com que é tratada.

Para muitos, o termo “rim dilatado” pode ser desconhecido até que eles ou alguém próximo sejam diagnosticados com a condição. E, como muitos problemas de saúde, a detecção precoce e o entendimento adequado são fundamentais para um tratamento eficaz e para minimizar potenciais complicações.

Por Que Este Tema é Relevante?

Em um mundo onde a informação está ao alcance de um clique, ainda há muitos mitos e desinformação sobre condições médicas. E para doenças menos comuns ou menos discutidas, como a dilatação renal, o desconhecimento pode ser ainda mais acentuado.

Este artigo tem como objetivo fornecer uma visão abrangente sobre o rim dilatado: suas causas, sintomas e opções de tratamento. Através desta leitura, esperamos não apenas informar, mas também capacitar nossos leitores a tomar decisões informadas sobre sua saúde e bem-estar.

Além disso, reconhecendo a importância de uma abordagem multidisciplinar no campo da medicina, a discussão sobre o rim dilatado não se restringe apenas à urologia. Pode também envolver áreas como nefrologia, radiologia e até mesmo pediatria, dependendo do paciente e da causa subjacente.

O que é Rim Dilatado?

A Definição da Condição

O rim dilatado, clinicamente conhecido como hidronefrose, refere-se ao inchaço de um ou ambos os rins devido ao acúmulo de urina. Sob circunstâncias normais, os rins filtram o sangue para produzir urina, que é então transportada através dos ureteres até a bexiga, onde é armazenada antes de ser excretada do corpo. No entanto, se algo impede o fluxo de urina para fora do rim, pode ocorrer acúmulo. Esse acúmulo de urina provoca a expansão do rim, levando ao que chamamos de hidronefrose.

Compreendendo a Estrutura Renal

Para entender completamente o que acontece em um rim dilatado, é fundamental compreender a anatomia renal. Cada rim é composto por aproximadamente um milhão de unidades funcionais chamadas néfrons. Estes néfrons têm duas partes principais: o corpúsculo renal, onde o sangue é inicialmente filtrado, e os túbulos renais, onde a urina é formada.

Os túbulos renais levam a urina a um funil, chamado de pelve renal. A pelve renal, por sua vez, desemboca nos ureteres. Se houver uma obstrução ou problema em qualquer parte deste sistema, a urina pode retroceder, causando dilatação.

Diferenciando de Outras Condições Renais

Há uma variedade de condições que podem afetar a saúde renal, desde infecções até cistos e tumores. O que diferencia a hidronefrose destas condições é sua origem. Enquanto muitas doenças renais são causadas por patologias ou anormalidades diretamente dentro do rim, a hidronefrose é tipicamente o resultado de um problema externo ao rim que impede o fluxo de urina.

Isso não significa, no entanto, que a condição seja menos grave. Sem tratamento adequado, a pressão contínua causada pelo acúmulo de urina pode levar a danos renais permanentes. Além disso, o rim dilatado é frequentemente um sintoma de outra condição subjacente que também precisa de atenção.

Gravidade e Categorias da Hidronefrose

A hidronefrose não é uma condição “tamanho único”. Varia em gravidade, muitas vezes categorizada em graus, desde leve até grave.

  • Hidronefrose leve: Nesta fase, há uma ligeira dilatação da pelve renal, mas sem dilatação significativa dos cálices renais. Pode não haver sintomas evidentes, e muitas vezes é descoberta acidentalmente durante exames de imagem por outras razões.
  • Hidronefrose moderada: Aqui, tanto a pelve renal quanto os cálices estão dilatados. Isso pode ser acompanhado por sintomas como dor lombar ou infecções recorrentes do trato urinário.
  • Hidronefrose grave: Esta é a forma mais avançada da condição. Envolve a dilatação marcada de todas as partes do rim, e o tecido renal em si pode começar a ser comprimido, levando a uma perda de função. Os sintomas podem ser mais intensos e a intervenção médica é urgentemente necessária.

Concluir que se tem um rim dilatado pode ser uma descoberta preocupante. No entanto, com o diagnóstico e tratamento adequados, muitos pacientes podem recuperar a função renal e viver uma vida saudável. Este artigo continuará a explorar as causas, sintomas e tratamentos para fornecer uma visão completa e abrangente desta condição.

Causas do Rim Dilatado

Infecções: Quando Microorganismos Causam Estragos

As infecções do trato urinário (ITU) são uma das causas mais comuns de hidronefrose, especialmente em mulheres. Os agentes infecciosos, como bactérias, podem subir pelos ureteres até os rins, levando à inflamação. Esta inflamação pode causar obstrução parcial dos ureteres, dificultando a passagem da urina e resultando em dilatação renal. Além disso, uma infecção renal, conhecida como pielonefrite, pode causar inchaço do próprio rim, exacerbando o problema.

Obstruções: Barreiras no Caminho da Urina

Obstruções do trato urinário são uma das causas mais diretas de hidronefrose. Estas obstruções podem surgir de diversas fontes:

  • Pedras nos rins: Estas formações sólidas, que se desenvolvem dentro do rim, podem descer pelo ureter, causando bloqueio. Dependendo do tamanho e da localização, essa obstrução pode ser total ou parcial.
  • Tumores: Massas benignas ou malignas no rim, ureter, bexiga ou órgãos próximos (como o colo do útero em mulheres ou a próstata em homens) podem pressionar o trato urinário e obstruí-lo.
  • Coágulos sanguíneos: Em casos raros, um coágulo sanguíneo pode se formar e bloquear o fluxo de urina.
  • Estenose ureteral: Refere-se ao estreitamento do ureter, muitas vezes causado por cicatrizes ou lesões, que podem impedir o fluxo adequado da urina.

Anomalias Congênitas: Problemas desde o Nascimento

Em alguns casos, o rim dilatado pode ser causado por condições presentes desde o nascimento. Estas anomalias congênitas podem incluir:

  • Refluxo vesicoureteral: Esta condição ocorre quando a urina, em vez de fluir do rim para a bexiga, flui de volta para o rim. Isso pode ser causado por uma válvula defeituosa entre o ureter e a bexiga.
  • Duplicação ureteral: Em algumas pessoas, dois ureteres emergem de um único rim, um dos quais pode não funcionar corretamente, levando ao acúmulo de urina.
  • Outras malformações estruturais: Anomalias na forma ou posição dos rins ou ureteres podem impedir o fluxo adequado da urina.

Outras Possíveis Causas

Enquanto as causas mencionadas acima são as mais comuns, existem outras condições menos frequentes que podem levar à hidronefrose:

  • Medicamentos: Alguns medicamentos, particularmente aqueles que afetam a musculatura do trato urinário, podem causar dilatação renal.
  • Gravidez: À medida que o feto cresce, especialmente nos estágios finais da gravidez, pode exercer pressão sobre os ureteres, causando obstrução.
  • Condições neurológicas: Problemas no sistema nervoso que afetam a bexiga e os ureteres podem resultar em hidronefrose.

A detecção precoce é fundamental para evitar complicações e danos renais a longo prazo. É essencial entender que a hidronefrose em si é frequentemente um sintoma de uma condição subjacente, e o tratamento eficaz requer a identificação e o manejo dessa causa raiz.

Sintomas Associados ao Rim Dilatado

Dor nas Costas ou Flanco: O Sinal Mais Revelador

A dor é muitas vezes o primeiro sinal de que algo não está certo com nossos rins. No caso de um rim dilatado, a dor geralmente se manifesta na área das costas ou flanco, especificamente na região lombar. Esta dor pode ser aguda ou crônica, variando de leve a intensa. Muitos descrevem a sensação como uma dor surda ou peso na área, que pode ser exacerbada com movimentos ou pressão. Em casos de obstrução súbita, como uma pedra nos rins, a dor pode ser tão intensa que é descrita como “cólica renal”, uma das dores mais fortes que uma pessoa pode experimentar.

Infecções Recorrentes: A Batalha Constante do Corpo

Um rim dilatado pode ser mais suscetível a infecções, devido ao acúmulo de urina que serve como um meio fértil para bactérias. Estas infecções, muitas vezes recorrentes, podem apresentar sintomas como:

  • Febre e calafrios.
  • Urina turva ou com cheiro fétido.
  • Ardor ao urinar.
  • Frequência urinária aumentada.
  • Náuseas e vômitos.

Infecções recorrentes podem causar cicatrizes nos rins ao longo do tempo, afetando sua função e levando a problemas adicionais.

Alterações Urinárias: Sinais Claros de Distúrbio Renal

Junto com a dor e as infecções, as alterações na urina são sinais reveladores de um rim dilatado. Essas mudanças podem incluir:

  • Hematúria: Presença de sangue na urina, tornando-a rosada, vermelha ou marrom. É um sinal de que há dano no trato urinário.
  • Oligúria ou Anúria: Redução significativa ou ausência completa de produção de urina, respectivamente. Pode ser um sinal de obstrução grave.
  • Polaciúria: Necessidade de urinar frequentemente, mesmo que em pequenas quantidades.
  • Urgência Urinária: Sensação persistente de que se precisa urinar imediatamente.

Outros Sintomas Relevantes

Enquanto os sintomas acima são os mais comuns, há outros sinais a serem observados:

  • Inchaço: Especialmente nas pernas e tornozelos. Pode ser resultado da retenção de líquidos devido à função renal comprometida.
  • Hipertensão: Pressão arterial elevada pode ser um resultado da função renal prejudicada, uma vez que os rins desempenham um papel crucial na regulação da pressão sanguínea.
  • Fadiga: Acúmulo de toxinas no corpo devido à função renal reduzida pode levar à sensação de cansaço constante.
  • Perda de apetite, náuseas ou vômitos: Devido ao acúmulo de resíduos no sangue.

Estes sintomas, quando persistentes ou recorrentes, merecem atenção médica imediata. Eles não só indicam a condição do rim dilatado, mas também podem sinalizar complicações mais graves ou condições subjacentes que exigem tratamento.

Diagnóstico

A Importância da Detecção Precoce

O diagnóstico precoce e preciso do rim dilatado é crucial, pois a detecção antecipada pode minimizar complicações, preservar a função renal e melhorar o prognóstico do paciente. A identificação desta condição depende de uma combinação de avaliação clínica, histórico médico e exames especializados.

Avaliação Clínica e Histórico Médico

Muitas vezes, o primeiro passo na identificação de um rim dilatado ocorre durante uma consulta médica rotineira ou devido a sintomas relatados pelo paciente. O médico irá:

  • Coletar um histórico médico detalhado, incluindo quaisquer sintomas presentes, duração, gravidade e qualquer condição médica anterior.
  • Realizar um exame físico, focando na área abdominal e nas costas, procurando sinais de inchaço, sensibilidade ou dor.

Essas informações iniciais ajudam a direcionar o caminho para exames diagnósticos mais específicos.

Exames de Imagem: Visualizando o Rim em Detalhe

Ultrassonografia Renal: Este é frequentemente o primeiro exame de imagem realizado quando se suspeita de um rim dilatado. Usando ondas sonoras, o ultrassom fornece uma imagem em tempo real do rim e das estruturas circundantes, permitindo que o médico veja o tamanho, forma e qualquer evidência de dilatação ou obstrução.

Tomografia Computadorizada (TC): Em casos onde é necessária uma imagem mais detalhada ou se o ultrassom não for conclusivo, uma TC do abdome pode ser indicada. Este exame fornece imagens transversais detalhadas dos rins e pode identificar pedras, tumores ou outras anormalidades.

Ressonância Magnética (RM): Este é um exame mais avançado e é utilizado em situações onde a TC e o ultrassom não são suficientes. A RM pode fornecer imagens detalhadas das vias urinárias e dos rins e é particularmente útil quando se suspeita de anomalias congênitas ou complicações mais complexas.

Outros Procedimentos Associados

Pielografia Intravenosa (IVP): Este é um exame de raios-X do trato urinário. Um meio de contraste é injetado na veia do paciente e imagens são tiradas à medida que o contraste passa pelos rins, ureteres e bexiga. Isso permite a visualização de qualquer obstrução ou anormalidade.

Cistoscopia: Este procedimento permite ao médico examinar o interior da bexiga e a abertura dos ureteres. É realizado inserindo um cistoscópio (um tubo fino com uma câmera) através da uretra. Pode ser útil se houver suspeita de problemas na bexiga contribuindo para a dilatação renal.

Testes de Função Renal: Estes são exames de sangue e urina que avaliam o quão bem os rins estão funcionando. Eles podem identificar se há uma diminuição na função renal, o que pode ser uma consequência do rim dilatado.

Tratamentos e Abordagens

A Consulta com um Urologista: O Primeiro Passo Essencial

Os rins desempenham funções vitais em nosso corpo, e quando algo vai mal, a saúde geral pode ser comprometida. É aqui que entra a importância do urologista. Esse especialista, focado no sistema urinário masculino e feminino, além do sistema reprodutor masculino, é o mais capacitado para avaliar, diagnosticar e tratar problemas relacionados ao rim dilatado.

Uma consulta com um urologista permite uma avaliação detalhada das queixas do paciente, exame físico direcionado e, com base nos achados, a solicitação de exames complementares. Com um diagnóstico preciso em mãos, o urologista pode discutir com o paciente as melhores opções de tratamento.

Abordagens de Tratamento: Medicamentos e Intervenções

Tratamentos Médicos: Dependendo da causa do rim dilatado, a primeira linha de tratamento pode ser médica. Infecções, por exemplo, são comumente tratadas com antibióticos. Em situações onde há refluxo vesicoureteral (quando a urina volta dos ureteres para os rins), medicamentos que reduzem os sintomas ou previnem infecções urinárias podem ser prescritos.

Tratamentos Cirúrgicos: Em casos onde a dilatação renal é causada por uma obstrução física, como um cálculo renal ou uma anomalia estrutural, a intervenção cirúrgica pode ser necessária. A cirurgia pode ser realizada para remover o obstáculo, corrigir uma anormalidade ou até mesmo, em casos graves, remover parte ou todo o rim afetado.

Cirurgia Robótica: Uma Opção Moderna e Minimamente Invasiva

No mundo moderno da medicina, a tecnologia tem desempenhado um papel cada vez mais significativo na melhoria dos cuidados ao paciente. A cirurgia robótica, um avanço nesse cenário, oferece uma alternativa minimamente invasiva às cirurgias abertas tradicionais.

Benefícios da Cirurgia Robótica: Esta técnica utiliza instrumentos muito finos e uma câmera de alta definição que é inserida através de pequenas incisões. Com isso, os benefícios são muitos:

  • Menor Sangramento: Devido às pequenas incisões e precisão do robô.
  • Recuperação Rápida: Menor trauma cirúrgico geralmente resulta em uma hospitalização mais curta e um retorno mais rápido às atividades normais.
  • Menos Dor Pós-operatória: Menos dano aos tecidos significa menos dor e desconforto após a cirurgia.
  • Resultados Estéticos Melhores: As pequenas incisões deixam cicatrizes mínimas.

Quando Optar pela Cirurgia Robótica: Este método é particularmente útil em procedimentos urológicos complexos onde a precisão é fundamental. Anomalias congênitas, reconstrução das vias urinárias e remoção de tumores renais são apenas alguns dos procedimentos que se beneficiam desta abordagem. No entanto, a decisão de usar a cirurgia robótica é tomada em conjunto pelo paciente e pelo urologista, considerando a situação clínica específica e os benefícios potenciais para o paciente.

Prevenção e Cuidados

Hábitos Saudáveis para a Saúde Renal

O rim, como um filtro natural do nosso corpo, merece cuidado e atenção para permanecer saudável. Aqui estão algumas dicas para garantir que seus rins continuem funcionando da melhor forma possível:

  1. Mantenha-se Hidratado: Beber a quantidade adequada de água diariamente ajuda a manter os rins saudáveis, auxiliando na filtração e na eliminação de toxinas do corpo. No entanto, a quantidade necessária pode variar dependendo do clima, atividade física e saúde geral.
  2. Dieta Balanceada: Comer uma dieta rica em frutas, legumes e grãos integrais, enquanto se limita o consumo de sal e proteína animal, pode ajudar a reduzir a pressão sobre os rins.
  3. Exercício Regularmente: A atividade física regular pode ajudar a manter a pressão arterial em níveis saudáveis, o que é vital para a saúde renal.
  4. Evite o Consumo Excessivo de Medicamentos: Algumas medicações, especialmente quando tomadas em grandes quantidades ou por longos períodos, podem ser prejudiciais aos rins. Sempre use medicamentos conforme prescrito e discuta qualquer preocupação com seu médico.
  5. Controle de Doenças Associadas: Condições como diabetes e hipertensão podem ter um impacto direto na saúde dos rins. Se diagnosticado com qualquer uma dessas condições, é crucial seguir o tratamento e as recomendações médicas para proteger a função renal.
  6. Limite o Consumo de Álcool e Evite o Tabagismo: Ambos têm sido associados a um risco aumentado de doença renal. Moderar o consumo de álcool e evitar fumar são passos importantes para a saúde renal.

Reconhecendo os Sinais: Quando Procurar um Especialista

A prevenção é um componente essencial para manter a saúde renal. No entanto, se surgirem sintomas ou preocupações, saber quando procurar ajuda é igualmente crucial. Aqui estão algumas situações que devem servir como um alerta:

  1. Mudanças na Urina: Se você notar alterações na cor, consistência ou frequência da urina, especialmente se acompanhada de dor ou desconforto, isso pode indicar um problema renal.
  2. Dor nas Costas ou Lateral do Corpo: Embora muitas condições possam causar dor nas costas, uma dor persistente ou intensa na área dos rins pode ser um sinal de uma condição renal subjacente.
  3. Inchaço: O inchaço nas mãos, pés ou rosto pode ser um sinal de que os rins não estão filtrando o excesso de líquidos corretamente.
  4. Hipertensão Persistente: A pressão arterial elevada pode ser tanto uma causa quanto um sintoma de doença renal. Se a hipertensão não for controlada com medicação ou mudanças no estilo de vida, uma avaliação renal pode ser necessária.
  5. Histórico Familiar: Se você tem um histórico familiar de problemas renais, isso pode aumentar o risco. Manter-se informado sobre a saúde renal da sua família e discutir quaisquer preocupações com um urologista pode ser um passo proativo.

Conclusão

A Importância da Informação na Saúde Renal

Em nossa jornada de compreensão do rim dilatado, ficou evidente o papel fundamental que a informação desempenha. Informar-se adequadamente sobre a saúde renal, suas condições associadas e os possíveis sintomas, pode ser o primeiro passo preventivo na detecção precoce de problemas renais, inclusive da dilatação.

Vivemos em uma era onde a informação está ao alcance de nossas mãos, literalmente. No entanto, com essa facilidade também vem a responsabilidade de discernir fontes confiáveis das não confiáveis. Blogs, sites e canais especializados, como os administrados por profissionais da saúde, servem como uma bússola nesse mar de informações.

Ao se educar sobre o rim dilatado, não só aumentamos a consciência sobre nossa saúde, mas também adotamos uma postura mais ativa em relação ao nosso bem-estar. Isso se traduz em hábitos mais saudáveis, visitas regulares ao médico e, mais importante, na capacidade de identificar precocemente sinais e sintomas que necessitam de atenção médica.

Buscando Ajuda Profissional: O Elo Crítico

A importância de buscar ajuda profissional diante de sintomas não pode ser subestimada. Por mais que estejamos armados com conhecimento e informação, o diagnóstico e tratamento de condições médicas devem ser deixados nas mãos de profissionais capacitados. Um urologista, por exemplo, tem a formação e experiência necessárias para avaliar, diagnosticar e, se necessário, tratar condições renais, como o rim dilatado.

Em muitos casos, os sintomas podem ser sutis ou até mesmo passar despercebidos. A dor lombar, por exemplo, pode ser facilmente descartada como resultado de uma má postura ou tensão muscular. No entanto, quando vista por um especialista, pode revelar-se um indicativo de uma condição renal mais séria.

Nessa conjuntura, a prevenção se mostra como uma ferramenta poderosa. Exames regulares e consultas periódicas com um urologista podem detectar problemas antes que se tornem graves ou que apresentem sintomas evidentes. Mais do que isso, um médico pode oferecer orientações individualizadas, adaptadas às necessidades específicas de cada paciente, garantindo assim um tratamento eficaz e uma abordagem preventiva robusta.

Encerrando, a saúde renal, como qualquer outra área de nossa saúde, demanda atenção, cuidado e, sobretudo, proatividade. A dilatação renal, embora possa parecer um termo técnico e distante para muitos, é uma realidade que muitas pessoas enfrentam. Portanto, permanecer informado, atento aos sinais do corpo e, crucialmente, buscar ajuda profissional quando necessário, são ações fundamentais para garantir não apenas a saúde dos rins, mas a qualidade de vida como um todo.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598 – RQE 70.725

  • Doutorado pela Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo (USP)
  • Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical
  • Membro da American Urological Association (AUA)
  • Membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

DÚVIDAS?

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598

– Urologista, Andrologista e Cirurgião Robótico

– Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical (Sunnyvale, Califórnia, EUA).

– Doutorado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

DÚVIDAS?

Agende com um especialista

Se você chegou até aqui, parabenizo-o por dedicar tempo e atenção à sua saúde, particularmente à saúde renal. Informar-se é o primeiro passo para adotar uma postura preventiva e proativa em relação ao seu bem-estar. No entanto, a leitura e a informação são apenas o começo.

Cada indivíduo é único e, por isso, pode apresentar sintomas e necessidades distintas. O que pode ser um indicativo de problema renal para uma pessoa, pode não ser para outra. Assim, a consulta médica personalizada é essencial para entender e avaliar seu quadro de saúde específico.

No meu consultório, localizado na Vila Mariana em São Paulo, ofereço uma abordagem completa e individualizada para cada paciente. Com anos de experiência na área urológica e cirurgia robótica, entendo a importância de avaliar cada caso de maneira única, fornecendo tratamentos e recomendações adequados.

Se você tem preocupações sobre sua saúde renal, sente algum dos sintomas mencionados ao longo deste artigo, ou simplesmente busca uma avaliação geral, encorajo-o a entrar em contato.

Meu consultório, localizado na Rua Domingos de Morais, 2187, Bloco Paris – conj. 210, Vila Mariana, São Paulo, SP, Brasil, está à disposição para receber e orientar você. Pode nos contatar pelos telefones (11) 91060-1374 e (11) 2659-4092. Além disso, se preferir ter uma visão geográfica de nossa localização, consulte nosso GMB através do link: https://goo.gl/maps/KgCNzjkcHbsrW3sz6

Além disso, encorajo a visitar o meu site https://www.drpetroniomelo.com.br para obter mais informações sobre as condições urológicas e os tratamentos disponíveis.

A saúde é o bem mais precioso que temos. Adotar uma abordagem proativa em relação a ela é um investimento para uma vida longa e de qualidade. Estou aqui para auxiliá-lo nessa jornada. Espero por você em meu consultório.

Atendimento com Urologista

Entre em contato e agende a sua consulta 

São Paulo - SP

R. Domingos de Morais, 2187, Bloco Paris – conj. 210
Vila Mariana, CEP 04035-000

Atendimento online

Horário de atendimento: 08:00 às 20:00
consultorio urologia vila mariana

São Paulo, SP

Consulta presencial

favicon petronio melo

Telemedicina

Consulta online