Blog Urologia - Dr. Petronio Melo

HPV: A Jornada desde a Prevenção até o Tratamento

hpv

Introdução

O que é HPV?

O HPV, ou Vírus do Papiloma Humano, é um grupo de mais de 150 vírus relacionados, cada um conhecido por um número, seu tipo HPV. Embora algumas pessoas estejam familiarizadas com o termo, poucas entendem realmente a extensão de sua prevalência e os potenciais riscos à saúde que ele representa.

Os tipos de HPV são classificados como de baixo ou alto risco, com base em seu potencial para levar a problemas de saúde mais sérios. Os HPV de alto risco podem causar diferentes tipos de câncer, incluindo câncer de colo de útero, de vagina, de vulva, de pênis, de ânus e de orofaringe (parte de trás da garganta, incluindo a base da língua e das amígdalas).

A Prevalência do HPV

Estima-se que o HPV seja a infecção sexualmente transmissível mais comum em todo o mundo. Na verdade, a maioria dos homens e mulheres sexualmente ativos será infectada com pelo menos um tipo de HPV em algum momento de suas vidas. Embora o sistema imunológico de muitas pessoas consiga combater o vírus, em alguns casos, o HPV pode persistir e possivelmente levar a certos tipos de câncer, como mencionado anteriormente.

Sintomas e Diagnóstico

Os sintomas do HPV podem não aparecer até anos após a infecção, tornando difícil saber quando você foi infectado. Em muitos casos, o HPV não causa nenhum sintoma perceptível, o que significa que uma pessoa pode transmitir o vírus sem nem mesmo saber que o tem.

Em outros casos, o HPV pode levar ao desenvolvimento de verrugas genitais, que são geralmente o primeiro sinal visível da infecção. No entanto, é importante notar que nem todos os tipos de HPV causam verrugas genitais – alguns tipos de alto risco, por exemplo, não causam sintomas visíveis, mas podem levar ao desenvolvimento de câncer.

Para diagnosticar o HPV, os médicos geralmente realizam um exame físico e, em alguns casos, podem realizar testes adicionais, como uma biópsia, se for necessário. Para as mulheres, um exame de Papanicolau pode detectar alterações nas células do colo do útero que podem ser um sinal de infecção por HPV.

Prevenção e Vacinação

Felizmente, há maneiras de prevenir a infecção pelo HPV. O uso consistente e correto de preservativos pode reduzir significativamente a probabilidade de contrair ou transmitir o vírus, embora não forneça 100% de proteção, uma vez que o HPV pode infectar áreas que não são cobertas por um preservativo.

A maneira mais eficaz de prevenir a infecção pelo HPV é através da vacinação. As vacinas contra o HPV são seguras e eficazes, e podem proteger contra os tipos de HPV de alto risco que são mais frequentemente associados ao câncer. As diretrizes atuais recomendam que meninos e meninas sejam vacinados contra o HPV entre os 11 e 12 anos, mas a vacinação pode ser administrada a partir dos 9 anos.

O Papel do Urologista

Como urologista, desempenho um papel crucial na detecção, prevenção e tratamento de infecções por HPV em homens. Isso inclui o diagnóstico de verrugas genitais, a realização de biópsias se necessário e o aconselhamento sobre práticas seguras de sexo para ajudar a prevenir a infecção pelo HPV.

Em nossa jornada de compreensão do HPV, exploraremos mais sobre este vírus, seus sintomas, métodos de prevenção e opções de tratamento. A informação é uma ferramenta poderosa na prevenção de doenças e na manutenção da saúde, e é nosso objetivo fornecer a você os recursos necessários para tomar decisões informadas sobre sua saúde.

O que é HPV?

Entendendo o Vírus

O HPV, conhecido como Vírus do Papiloma Humano, é na verdade uma família de mais de 150 vírus relacionados. Cada variedade de HPV é designada por um número e é classificada como de baixo ou alto risco, dependendo de sua capacidade de causar problemas de saúde mais graves.

Estes vírus recebem seu nome da característica comum de causar papilomas, mais comumente conhecidos como verrugas. A localização e a gravidade dessas verrugas dependem do tipo de HPV envolvido. Alguns tipos de HPV causam verrugas na pele comuns, enquanto outros são responsáveis por verrugas nas áreas genitais e anal.

No entanto, é importante observar que nem todos os HPVs causam verrugas. Alguns, chamados HPVs de alto risco, estão mais associados a certos tipos de câncer, como o câncer de colo de útero, vulva, vagina, ânus, pênis e orofaringe.

Diversidade e Riscos do HPV

A diversidade de tipos de HPV pode parecer assustadora, mas a maioria das pessoas não experimentará sintomas ou complicações de saúde significativas devido à infecção por HPV. Isto é em grande parte graças ao nosso sistema imunológico, que geralmente é capaz de eliminar a infecção antes que ela cause problemas.

No entanto, certos tipos de HPV são mais propensos a persistir e podem levar a condições de saúde mais graves. Existem cerca de 14 tipos de HPV considerados de “alto risco” por causa de sua associação com o câncer. Os tipos 16 e 18, por exemplo, são responsáveis por aproximadamente 70% de todos os casos de câncer de colo de útero.

Quem pode ser afetado?

O HPV é excepcionalmente comum, e quase todas as pessoas sexualmente ativas contrairão pelo menos um tipo de HPV em algum momento de suas vidas. A infecção é mais comum em pessoas em seus anos de adolescência e vinte anos, mas pode ocorrer em qualquer idade.

É importante destacar que o HPV não discrimina. Afeta homens e mulheres de todas as idades, independentemente de sua saúde ou histórico sexual. No entanto, certos fatores podem aumentar o risco de uma pessoa contrair HPV. Estes incluem ser sexualmente ativo desde cedo, ter múltiplos parceiros sexuais, ter um sistema imunológico enfraquecido, ou ter uma outra infecção sexualmente transmissível.

Como o HPV entra no corpo?

O HPV é transmitido principalmente através do contato direto pele a pele durante o sexo vaginal, anal ou oral com alguém que tem o vírus. A transmissão pode ocorrer mesmo quando a pessoa infectada não apresenta sinais ou sintomas.

Uma vez no corpo, o HPV pode infectar as células da pele e da mucosa. Em alguns casos, o vírus consegue se integrar no DNA das células hospedeiras, levando a um crescimento celular anormal e potencialmente ao câncer.

HPV é um problema global

O HPV representa um desafio significativo para a saúde pública global. Além de ser a infecção sexualmente transmissível mais comum, é também um importante fator de risco para vários tipos de câncer. De fato, a Organização Mundial da Saúde estima que o HPV é responsável por cerca de 5% de todos os cânceres diagnosticados globalmente.

Formas de Transmissão do HPV

Transmissão Sexual

A principal forma de transmissão do HPV é através do contato sexual. Isso inclui qualquer forma de contato sexual íntimo, incluindo sexo vaginal, anal e oral. O HPV pode ser transmitido mesmo quando a pessoa infectada não apresenta sintomas. De fato, muitas pessoas que transmitem o vírus nem mesmo sabem que estão infectadas.

Transmissão por Contato Pele a Pele

Além da transmissão sexual, o HPV também pode ser transmitido através do contato pele a pele. Isso significa que qualquer contato direto com a pele ou mucosas infectadas pode resultar na transmissão do vírus. É importante notar que o HPV não pode ser transmitido pelo contato com superfícies ou objetos inanimados.

Transmissão Materno-Fetal

Embora menos comum, a transmissão materno-fetal do HPV também é possível. Isso ocorre quando uma mãe infectada com HPV transmite o vírus para seu bebê durante o parto. Embora seja raro, isso pode levar a uma condição chamada papilomatose respiratória recorrente, na qual verrugas crescem nas vias aéreas do bebê, possivelmente levando a problemas respiratórios.

HPV e Beijos

Há alguma controvérsia sobre se o HPV pode ser transmitido por beijos. Algumas pesquisas sugerem que é possível, especialmente para os tipos de HPV associados ao câncer orofaríngeo. No entanto, a evidência ainda não é definitiva e mais pesquisas são necessárias para esclarecer o risco.

Quem está em risco?

Qualquer pessoa que seja sexualmente ativa pode contrair HPV, e a maioria das pessoas o fará em algum momento de suas vidas. No entanto, certos fatores podem aumentar o risco de uma pessoa contrair HPV. Estes incluem:

  • Ser sexualmente ativo desde cedo
  • Ter vários parceiros sexuais
  • Ter um sistema imunológico enfraquecido
  • Ter outra infecção sexualmente transmissível

Prevenindo a Transmissão

A melhor maneira de prevenir a transmissão do HPV é através da vacinação. As vacinas contra o HPV são seguras, eficazes e podem proteger contra os tipos de HPV mais comuns associados ao câncer e às verrugas genitais.

Outras medidas preventivas incluem o uso consistente e correto de preservativos durante o sexo e a limitação do número de parceiros sexuais. No entanto, essas medidas não são 100% eficazes, pois o HPV pode infectar áreas que não são cobertas por um preservativo.

Sintomas do HPV

Sem Sintomas Visíveis

A maioria das pessoas com HPV não apresentará sintomas visíveis e, muitas vezes, não saberá que está infectada. Isto é porque o sistema imunológico de uma pessoa geralmente pode eliminar o vírus antes que ele cause problemas de saúde. No entanto, se o vírus persistir, pode levar a problemas de saúde mais graves a longo prazo.

Verrugas

Os tipos de HPV que causam verrugas são chamados de HPVs de “baixo risco”. As verrugas podem aparecer em várias partes do corpo, dependendo do tipo de HPV. Por exemplo, alguns tipos de HPV causam verrugas comuns que aparecem em áreas como as mãos e os pés.

Outros tipos, conhecidos como HPVs genitais, causam verrugas que aparecem na vulva, vagina, colo do útero, reto, ânus, pênis ou escroto. As verrugas genitais podem variar em aparência. Algumas são pequenas e planas, outras podem ser grandes e levantadas, e algumas têm uma aparência de couve-flor. Em alguns casos, as verrugas genitais podem causar coceira, desconforto ou sangramento.

Sintomas do Câncer

Os tipos de HPV de “alto risco” estão associados ao câncer. Não causam verrugas, mas podem causar alterações nas células que, se não forem detectadas e tratadas, podem levar ao câncer ao longo do tempo. Os sintomas do câncer variam dependendo do local do câncer.

Por exemplo, o câncer de colo do útero pode causar sangramento irregular, sangramento ou dor durante o sexo, e dor pélvica. O câncer anal pode causar sangramento, dor ou coceira no ânus, e alterações nos hábitos intestinais. O câncer de pênis pode causar alterações na cor ou espessura da pele do pênis, ou uma ferida ou massa no pênis.

Diferenças de Sintomas em Homens e Mulheres

Tanto homens quanto mulheres podem contrair HPV e apresentar sintomas. No entanto, existem algumas diferenças importantes.

Homens: Em homens, os tipos de HPV que causam verrugas genitais podem levar ao aparecimento de verrugas no pênis, escroto, ânus ou uretra. Os homens também podem contrair os tipos de HPV que podem levar ao câncer. No entanto, os cânceres associados ao HPV são menos comuns em homens do que em mulheres.

Mulheres: Nas mulheres, os tipos de HPV que causam verrugas genitais podem levar ao aparecimento de verrugas na vulva, vagina, colo do útero ou ânus. Além disso, as mulheres podem contrair os tipos de HPV que podem levar ao câncer de colo do útero. É por isso que as mulheres são aconselhadas a fazer exames regulares de Papanicolau, que podem detectar alterações pré-cancerosas no colo do útero.

HPV e Câncer

HPV: Uma Causa Comum de Câncer

Os vírus do papiloma humano de alto risco são a causa de muitos tipos de câncer. De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention dos Estados Unidos (CDC), o HPV causa cerca de 44.000 casos de câncer a cada ano nos Estados Unidos. Globalmente, esse número é ainda maior.

HPV e Câncer do Colo do Útero

O HPV é a principal causa do câncer do colo do útero, sendo responsável por quase todos os casos. Isso ocorre quando o HPV causa mudanças nas células do colo do útero, o que pode levar ao câncer ao longo do tempo. Esse processo geralmente leva muitos anos, proporcionando uma oportunidade para a detecção e tratamento precoce.

Por isso, é crucial que as mulheres façam exames regulares de Papanicolau, que podem detectar alterações pré-cancerosas no colo do útero. Se essas alterações forem detectadas a tempo, o tratamento pode impedir que o câncer se desenvolva.

HPV e Câncer de Pênis

Embora menos comum, o HPV também pode causar câncer de pênis. Este é um tipo de câncer raro, representando menos de 1% de todos os cânceres em homens nos Estados Unidos. No entanto, até metade de todos os cânceres de pênis podem estar ligados ao HPV.

HPV e Outros Tipos de Câncer

Além do câncer de colo de útero e do câncer de pênis, o HPV também está ligado a outros tipos de câncer. Estes incluem:

  • Câncer anal: O HPV é responsável por cerca de 90% de todos os cânceres anais.
  • Câncer orofaríngeo: Este é um tipo de câncer de cabeça e pescoço que pode afetar a base da língua e as amígdalas. Cerca de 70% de todos os cânceres orofaríngeos nos Estados Unidos estão ligados ao HPV.
  • Câncer vulvar e vaginal: Aproximadamente 70% de todos os cânceres vulvares e cerca de 75% de todos os cânceres vaginais estão ligados ao HPV.

Prevenção do Câncer por HPV

Felizmente, muitos dos cânceres causados pelo HPV podem ser prevenidos. A vacina contra o HPV é uma ferramenta poderosa de prevenção do câncer, pois protege contra os tipos de HPV que causam a maioria dos cânceres.

Os exames de rastreamento do câncer, como o Papanicolau e o teste do HPV, também são fundamentais. Eles podem detectar alterações pré-cancerosas causadas pelo HPV, permitindo que sejam tratadas antes que se tornem câncer.

Como Prevenir o HPV

Vacinação Contra o HPV

A maneira mais eficaz de prevenir a infecção pelo HPV é receber a vacina contra o HPV. A vacina é segura e eficaz, e protege contra os tipos de HPV que são mais propensos a causar câncer e verrugas genitais.

Existem três vacinas contra o HPV disponíveis globalmente: Gardasil 9, Gardasil e Cervarix. Todas protegem contra os dois tipos de HPV (16 e 18) que causam a maioria (70%) dos cânceres de colo do útero. Gardasil e Gardasil 9 também protegem contra os tipos 6 e 11, que causam a maioria das verrugas genitais.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA recomendam que todas as crianças e adolescentes de 11 ou 12 anos recebam duas doses da vacina contra o HPV. Adultos que não foram vacinados quando eram mais jovens podem receber a vacina até os 26 anos. Além disso, alguns adultos entre 27 e 45 anos podem decidir receber a vacina após discutir com seu médico.

Uso de Preservativos

O uso de preservativos pode reduzir, mas não eliminar, o risco de infecção pelo HPV. Isso porque o HPV pode infectar áreas que não são cobertas por um preservativo. No entanto, o uso de preservativos deve ser incentivado, pois pode proteger contra outras doenças sexualmente transmissíveis e prevenir gravidezes indesejadas.

Exames de Detecção

As mulheres devem fazer exames regulares de Papanicolau para detectar alterações precoces no colo do útero que possam levar ao câncer. Se forem detectadas alterações pré-cancerosas, elas podem ser tratadas para evitar que se tornem câncer.

Existe também um teste de HPV que pode ser usado em combinação com o Papanicolau em mulheres a partir dos 30 anos. Este teste detecta a presença do vírus do HPV no colo do útero.

Outros Métodos de Prevenção

Além da vacinação, do uso de preservativos e dos exames de detecção, existem outras maneiras de prevenir a infecção pelo HPV. Isso inclui:

  • Limitar o número de parceiros sexuais: Quanto mais parceiros sexuais você tiver, maior será o risco de infecção pelo HPV.
  • Não fumar: O tabagismo pode enfraquecer o sistema imunológico, tornando mais difícil para o corpo combater infecções como o HPV.
  • Praticar sexo seguro: Além de usar preservativos, isso pode incluir atividades como a vacinação contra o HPV e exames regulares de saúde sexual.

Tratamento do HPV

Manejo Clínico do HPV

Embora não haja cura para o próprio vírus HPV, existem tratamentos para os problemas de saúde que o HPV pode causar. Quando detectadas precocemente, as condições relacionadas ao HPV, como as lesões pré-cancerígenas, podem ser gerenciadas ou tratadas eficazmente.

Tratamento para Verrugas Genitais

As verrugas genitais causadas por certos tipos de HPV podem ser tratadas por um médico ou um profissional de saúde. Existem vários tratamentos disponíveis:

  • Medicações tópicas: Estas são aplicadas diretamente nas verrugas. Incluem a podofiloxina e o imiquimode.
  • Procedimentos de remoção de verrugas: incluem crioterapia (congelamento das verrugas), eletrocautério (queima das verrugas) ou cirurgia.

Vale lembrar que, embora o tratamento possa remover as verrugas, não elimina o vírus. Portanto, as verrugas podem retornar.

Tratamento para Lesões Pré-cancerosas do Colo do Útero

As lesões pré-cancerosas do colo do útero causadas pelo HPV podem ser tratadas para prevenir o desenvolvimento de câncer. O tratamento exato depende do grau de alteração das células. Algumas opções de tratamento incluem:

  • Crioterapia: O tecido anormal é congelado e destruído.
  • Conização: Um cone de tecido é removido do colo do útero para que possa ser examinado mais de perto.
  • Cirurgia a laser: Um laser é usado para remover ou destruir o tecido anormal.
  • Cirurgia robótica: A cirurgia robótica minimamente invasiva também pode ser usada para remover tecido cervical anormal em casos mais complexos.

Consulta com um Urologista

Para homens, especialmente aqueles com verrugas genitais ou que têm parceiros com resultados anormais de Papanicolau, uma consulta com um urologista pode ser benéfica. Durante a consulta, o médico pode realizar um exame físico e, se necessário, coletar amostras de tecido para análise (biópsia).

O urologista também discutirá as opções de tratamento, que podem incluir medicação tópica, crioterapia, eletrocautério ou cirurgia. O tratamento recomendado depende do tamanho, localização e número de verrugas, entre outros fatores.

Para pacientes que possam ter câncer relacionado ao HPV, como câncer de pênis ou anal, o urologista pode trabalhar em conjunto com outros médicos, como oncologistas e radioterapeutas, para planejar o melhor curso de tratamento.

Conclusão

Recapitulando o HPV

Ao longo desta jornada, exploramos em detalhes a infecção pelo HPV – desde sua definição, transmissão, sintomas, ligação com vários tipos de câncer, até as medidas preventivas e tratamentos disponíveis. Recapitulando, o HPV, ou Vírus do Papiloma Humano, é um vírus comum que possui mais de 200 tipos diferentes, muitos dos quais podem afetar a região genital e oral.

A Importância da Prevenção

A prevenção é uma das melhores formas de combater o HPV. A vacinação é uma ferramenta essencial de prevenção que pode proteger contra os tipos mais perigosos de HPV, aqueles que são mais propensos a causar câncer. Além disso, é importante lembrar da proteção durante o contato sexual – o uso de preservativos pode reduzir, mas não eliminar completamente, o risco de transmissão do HPV. Portanto, manter uma boa comunicação com os parceiros sexuais sobre o status da infecção pelo HPV e o histórico de DSTs também é uma parte crucial da prevenção.

A Importância da Detecção Precoce

Quando se trata de HPV e suas potenciais consequências, como o câncer, a detecção precoce é de extrema importância. Embora o vírus possa permanecer latente e inativo, às vezes por anos, quando ele se torna ativo, pode levar a alterações celulares que, se não tratadas, podem evoluir para o câncer.

Os exames de rotina, como o Papanicolau para as mulheres e o exame de urina ou peniscopia para os homens, podem detectar as alterações precoces nas células e permitir a intervenção antes que elas se tornem cancerosas. Lembre-se de que, quanto mais cedo o câncer for detectado, melhores serão as perspectivas de tratamento e recuperação.

Tratamento: Além das Verrugas

Em relação ao tratamento, vale reforçar que, embora não exista uma cura para o HPV, os sintomas e as condições que ele pode causar são tratáveis. Verrugas genitais, lesões pré-cancerígenas e até mesmo o câncer são condições que, quando identificadas e tratadas adequadamente, podem ter um prognóstico favorável.

A medicina tem avançado a passos largos, e hoje contamos com uma série de tratamentos eficazes, desde medicamentos tópicos até cirurgias de alta precisão, como a cirurgia robótica.

Mantenha-se Informado e Cuidado

Por último, mas não menos importante, estar informado sobre o HPV é uma poderosa forma de prevenção. Conhecer os fatos, entender os riscos e ter consciência das medidas de prevenção pode fazer uma grande diferença na sua saúde e bem-estar, bem como na de seus parceiros.

A infecção pelo HPV é um problema de saúde global, mas com as ferramentas e informações corretas, é possível enfrentar e superar os desafios que ela apresenta.

A jornada desde a prevenção até o tratamento do HPV é uma que todos devemos fazer. Esperamos que as informações contidas neste artigo o ajudem em sua própria jornada para entender, prevenir e, se necessário, tratar o HPV.

Gostou do conteúdo? Compartilhe!

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598 – RQE 70.725

  • Doutorado pela Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo (USP)
  • Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical
  • Membro da American Urological Association (AUA)
  • Membro da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

DÚVIDAS?

Categorias
urologista

Dr. Petronio Melo

CRM-SP 157.598

– Urologista, Andrologista e Cirurgião Robótico

– Certificação em Cirurgia Robótica pela Intuitive Surgical (Sunnyvale, Califórnia, EUA).

– Doutorado na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP)

DÚVIDAS?

Agende com um especialista

Informação é uma arma poderosa no combate a qualquer condição de saúde, e com o HPV não é diferente. Fazer parte desta jornada conosco, desde a prevenção até o tratamento do HPV, mostra o comprometimento que você tem com sua saúde e bem-estar. Agora, é o momento de dar o próximo passo.

O papel do médico é essencial nesta jornada. A informação médica precisa e de qualidade só pode ser totalmente garantida por profissionais de saúde. Se você tem mais perguntas, ou se acha que pode estar em risco, é importante consultar um médico.

Nós, do consultório do Dr. Petronio Melo, estamos comprometidos em ajudar você a cuidar da sua saúde. Nossa equipe está pronta para responder suas perguntas, oferecer orientação personalizada e, se necessário, fornecer o tratamento adequado.

Estamos localizados na Rua Domingos de Morais, 2187, Bloco Paris – conj. 210, Vila Mariana, São Paulo, SP, Brasil, CEP 04035-000. Nossos telefones de contato são (11) 91060-1374 e (11) 2659-4092.

Acredite, não há pergunta tola ou pequena demais quando se trata de sua saúde. Estamos aqui para ajudar e esclarecer quaisquer dúvidas que você possa ter sobre o HPV ou qualquer outra questão de saúde urológica.

Para um atendimento ainda mais completo, considere agendar uma consulta. Podemos discutir seu histórico médico, fatores de risco e realizar exames, se necessário. Cada indivíduo é único e, portanto, merece uma abordagem personalizada.

Para agendar uma consulta, basta entrar em contato conosco através dos números fornecidos ou visitar nosso site em https://www.drpetroniomelo.com.br.

Lembre-se: cuidar da saúde deve ser uma prioridade em nossa vida. Encorajamos você a dar o próximo passo. Entre em contato conosco hoje mesmo e continue sua jornada para a saúde e o bem-estar.

Atendimento com Urologista

Entre em contato e agende a sua consulta 

São Paulo - SP

R. Domingos de Morais, 2187, Bloco Paris – conj. 210
Vila Mariana, CEP 04035-000

Atendimento online

Horário de atendimento: 08:00 às 20:00
consultorio urologia vila mariana

São Paulo, SP

Consulta presencial

favicon petronio melo

Telemedicina

Consulta online